State of Emergency in Santa Catarina, Brazil

 
Share

published: 10 September 2011

Mais de 160 mil pessoas são obrigadas a deixar suas casas por causa das enchentes em Santa Catariana

O nível do Rio Itajaí-Açu, em Santa Catariana, começou a baixar, mas a situação ainda está longe da normalidade. Trinta e sete cidades estão em situação de emergência e seis decretaram calamidade pública. Três pessoas morreram.

Santa Catarina

Para realizarem as operações, os policiais militares estão utilizando lanchas e o Aerobarco

O nível do Rio Itajaí-Açu, em Santa Catariana, começou a baixar, mas a situação ainda está longe da normalidade.

Em todo o estado, 167 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas. Trinta e sete cidades estão em situação de emergência e seis decretaram calamidade pública. Três pessoas morreram. Veja na reportagem de Ricardo Von Dorff.

Há três dias, a correnteza mantém paradas as operações no complexo portuário de Itajaí, o segundo maior do país. A água cobre quase toda a área rural do município. E alaga metade da área urbana. Apesar do risco, muitas famílias decidiram não sair de casa.

Não bastasse a cheia, a preocupação agora é com os saques. A Polícia militar patrulha os bairros inundados com um aerobarco, que pode navegar em apenas dez centímetros de água.

Santa Catarina

Vista aérea da cidade de Itajaí, em Santa Catarina, na manhã deste sábado (10). Dados da Defesa Civil de Santa Catarina no início da noite de ontem (9) confirmam o estrago provocado pelas quase 72 horas de chuva registradas no Estado. Duas mortes foram confirmadas e 32 cidades decretaram situação de emergência.

Depois da grande enchente de 2008, Itajaí organizou a Defesa Civil e criou um sistema para monitorar os rios que cortam a cidade. “Pela primeira vez, temos informações em tempo real, que vai nos permitir gerar informações mais acertadas para a Defesa Civil”, explica João Luiz de Carvalho, oceanógrafo.

Por isso, desta vez, 20 mil famílias foram avisadas a tempo de salvar seus pertences e encontrar lugar seguro. Boa parte está em abrigos públicos.

Depois de servir na missão de paz no Haiti, o sargento Teixeira agora ajuda a salvar vidas em Itajaí. Nesta madrugada, enfrentou a correnteza para resgatar uma mulher em trabalho de parto. Não deu tempo para chegar ao hospital e ele acabou ajudando o bebê a nascer.

“Naquele momento, a responsabilidade sobre os ombros foi muito grande. Por mais que tenhamos vivido situações das mais conflitantes que a gente possa viver, um momento como esse mexe com a gente”, conta Sargento Márcio Teixeira, Exército.

Apesar das condições, o parto foi um sucesso. Mãe e bebê passam bem. A criança é um menino.